fbpx

BARINI ORTODONTIA ADOTA NOVAS MEDIDAS DE BIOSSEGURANÇA DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

Barini-Ortodontia-reforca-as-Medidas-de-Biossegurança-Matéria-blog (2)

A Barini sempre seguiu rígidos protocolos de biossegurança e que agora — com a pandemia da doença COVID-19 — adotou novos processos para oferecer ainda mais segurança para sua equipe e seus pacientes. A seguir, mostraremos quais são as novas orientações da ANVISA (que passamos a seguir) e demais informações sobre o ambiente seguro que preparamos para que você continue a fazer seu tratamento dentário. Acompanhe!

Quais as recomendações da ANVISA para consultórios odontológicos durante a Pandemia?

Em uma nota técnica de março de 2020 a Anvisa abordou orientações quanto às medidas de prevenção e controle a serem adotados para atender os casos suspeitos ou confirmados pela infecção do novo coronavírus (SARS-Cov-2). As medidas de prevenção e controle de infecção devem ser implementadas para evitar ou reduzir ao máximo a transmissão de microrganismos.

Medidas de biossegurança da ANVISA para os profissionais de saúde

 

 PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE

– higiene das mãos com água e sabonete líquido preparação alcoólica a 70%;

– óculos de proteção ou protetor facial;

– máscara cirúrgica;

– avental;

– luvas de procedimento;

– gorro (para procedimentos que geram aerossóis).

Observação: os profissionais de saúde deverão utilizar máscaras e serem orientados quanto ao seu uso, como não ficar ajeitando-a no rosto com frequência e ser trocada ao ficar úmida.

Essas são as orientações mínimas, mas os profissionais de saúde, incluindo cirurgiões-dentistas podem determinar ações mais rigorosas com base em uma avaliação caso a caso.

 

Por que as medidas precisam ser adotadas a todos os pacientes?

Ao ser infectada com o vírus SARS-2 (causador da COVID-19) a pessoa pode apresentar os sintomas em dois a até 14 dias. Porém, algumas delas nem apresentam os sintomas, curando-se naturalmente através da atuação das defesas naturais do seu organismo. Assim, o paciente pode estar infectado, mas não apresentar os sinais da doença (tosse persistente, febre e, em casos mais graves, falta de ar), pois o vírus tem predileção pelo pulmão.

Cabe salientar que pessoas idosas e indivíduos com doenças que abalem seu sistema imunológico são as mais suscetíveis a desenvolver a doença após o contato com o vírus.

As medidas de segurança da ANVISA referem-se a todos os serviços de saúde, mas existem aqueles a serem adotados aos procedimentos realizados em serviços odontológicos. Confira!

 

Medidas para os Serviços Odontológicos (ANVISA)

No atendimento aos pacientes, as clínicas odontológicas devem adotar as medidas:

  1. Higienizar com frequências as mãos com água e sabonete líquido, álcool a 70%, usar os seguintes equipamentos de proteção individual (EPIs): óculos de proteção ou protetor facial, gorro, luvas de procedimento, avental impermeável, máscaras N95 (PFF2) ou equivalente.
  2. Antes e depois da utilização de máscaras as mãos devem ser higienizadas. Todos os profissionais envolvidos (cirurgiões-dentistas, técnicos, auxiliares e demais profissionais da clínica) precisam ser orientados sobre como colocar, remover e descartá-las — além de evitar manipulá-la enquanto a utiliza.
  3. Durante o atendimento odontológico deve ser feita a sucção constante da saliva e, sempre que possível, trabalhar a quatro mãos — ou seja, com a presença do dentista e de um auxiliar, sendo que os EPIs devem ser adotados por ambos.
  4. Devem ser evitadas as radiografias intraorais (pois estimula a secreção salivar e a tosse) e optar elas extraorais, como a radiografia panorâmica e a tomografia computadorizada com feixe cônico.
  5. Antes de iniciar o atendimento, tanto os dentistas e pacientes deve utilizar enxaguatório bucal antimicrobiano, sendo indicada uma das opções: agentes de oxidação a 1% (ex: peróxido de hidrogênio) ou povidona a 0,2% com o objetivo de reduzir a carga microbiana salivar (bactérias e vírus). Cabe salientar que a solução mais utilizada — clorexidina — pode não ser eficaz. O bochecho com peróxido de hidrogênio a 1% só deve ser usado exclusivamente antes do procedimento, não sendo recomendado seu contínuo pelo paciente.
  6. Quando o isolamento com dique de borracha não for possível, os dentistas devem utilizar dispositivos manuais (como curetas periodontais) para remover cáries e realizar raspagem periodontal para minimizar a geração de aerossol.
  7. Demais medidas que diminuam a geração de aerossol devem ser adotadas como:
  •         deixar o paciente na posição mais adequada;
  •         não usar a seringa tríplice em spray acionando os dois botões simultaneamente;
  •         regular a saída de água de refrigeração;
  •         usar o dique de borracha sempre que possível;
  •         sempre usar sugadores de alta potência.
  1. Esterilizar (em autoclave) todos os instrumentais tidos como críticos, incluindo as canetas de alta e baixa rotação.

Observação: Algumas das medidas nos itens acima são mais técnicas e incompreendidas pela maioria dos pacientes, mas achamos interessante mencioná-las para que os pacientes da Barini Odontologia saibam que elas estão sendo utilizadas.

 

Como proceder com pacientes com sintomas de síndrome gripal?

Muitas vezes, certos procedimentos mais invasivos que já tiver sido iniciado (como o tratamento de canal) não podem ser adiados para evitar complicações e infecções. Para atender a esses pacientes:

  1. Os pacientes em tratamento que apresentarem sintomas comuns de síndrome gripal devem ser orientados a adiar o término do tratamento para depois da quarentena.
  2. Se os casos acima forem de emergência. Para esses casos, esses pacientes não devem aguardar na mesma sala que os outros pacientes. Eles devem ser conduzidos a um local separado e bem ventilado, além de fácil acesso a álcool a 70% e máscaras descartáveis.

Após o tratamento dessas pessoas serão realizados os procedimentos de limpeza e desinfecção da sala onde o procedimento foi realizado. No entanto, os pacientes podem ser tratados em salas isoladas e bem ventiladas ou em salas com pressão negativa.

Mais uma vez, pedimos aos nossos leitores a compreensão da necessidade do uso de termos técnicos (muitas vezes incompreensíveis para os pacientes) em nosso texto.

 

Questionário para todos os pacientes

As clínicas odontológicas podem fazer aos pacientes as seguintes perguntas, que podem ser realizadas antes de posicionar o paciente na cadeira ou no momento de confirmar a consulta.

  •         Apresentou febre, tosse seca ou dificuldade de respirar nos últimos 14 dias?
  •         Teve febre maior ou igual a 37,8 graus no momento do atendimento?
  •         Esteve em contato com alguém diagnosticado com COVID-19?

Se as respostas forem positivas, adie (sempre que possível), o tratamento por igual período e encaminhe a pessoa a uma unidade básica de saúde. Caso não seja possível adiar o tratamento, as clínicas prosseguirão com o atendimento conforme orientado anteriormente (em isolamento ou em hospitais).

 

Como os pacientes devem se comportar durante a espera por atendimento?

Ao chegar à consulta, as pessoas devem seguir o que está descrito abaixo:

Para todos os pacientes

Todos os pacientes devem aguardar atendimento em salas bem ventiladas e com acesso a álcool gel 70% e a máscaras descartáveis. Os banheiros devem ter à disposição sabão líquido e toalhas de papel.

Para pacientes com síndrome gripal

As pessoas com qualquer tipo de síndrome gripal só devem ser atendidas em casos emergenciais, caso contrário, convém que interrompam o tratamento (se possível) e só sejam atendidas novamente após o término da Pandemia.

Para os casos de emergência, estes pacientes não devem aguardar na mesma sala que os outros pacientes. Eles devem ser conduzidos a um local separado e bem ventilado, além de fácil acesso a álcool a 70% e máscaras descartáveis.

Todas as pessoas com síndrome gripal devem seguir:

  •         Etiqueta da tosse (tossir cobrindo a boca com o braço);
  •         Higiene respiratória (uso de máscara e limpeza do nariz com papel descartável);
  •         Higienizar as mãos durante o período que permanecerem na clínica. Com e sabão, lavar durante 40 a 60 segundos; com álcool, esfregar nas mãos por 20 segundos.

Utilizar alertas visuais como placas e cartazes na entrada do consultório, nas áreas de espera, nos elevadores, entre outros locais é importante para que pacientes, acompanhantes e visitantes sigam instruções para higienizar corretamente as mãos e a parte respiratória, seguir a etiqueta da tosse, além de orientar o uso de máscaras faciais.

O que configura situações de emergência odontológica?

Emergências odontológicas são situações que expõem o paciente ao risco de morrer. São elas:

  •         Sangramentos extensos;
  •         Traumatismo nos ossos da face, com possibilidade de comprometimento das vias aéreas;
  •         Infecções bacterianas difusas ou celulite, com inchaço (edema) no interior da boca ou fora dela, além de potencial risco de comprometimento da via aérea dos pacientes;
  •         Necroses orais dolorosas e com secreção purulenta.

Quais outras orientações gerais devem ser seguidas?

  •         Os pacientes e profissionais de saúde serão orientados a evitar tocar olhos, nariz e boca sem lavar as mãos;
  •         Deve-se orientar que qualquer paciente mantenha uma distância de cerca de dois metros dos outros pacientes ou de funcionários da clínica odontológica. Pode-se pedir que pacientes que tenham ido ao consultório de carro, que aguardem ser chamados dentro do veículo — para sua própria proteção e de todos;
  •         Será feita a limpeza e a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência por pacientes e equipes assistenciais;
  •         Os profissionais da clínica devem evitar tocar superfícies próximas ao paciente (ex. Mobiliário e equipamentos para a saúde) e as que estiverem longe do ambiente próximo ao paciente devem ser tocadas com luvas ou outros EPI, ou mãos contaminados.

Em respeito aos seus pacientes, a clínica Barini acatou todas as recomendações da ANVISA com relação às medidas de precaução durante a Pandemia da COVID-19 — medidas de biossegurança. Para se sentir ainda mais seguro em continuar realizando tratamentos odontológicos durante essa fase em que vivemos, confira depoimentos de nossos pacientes.

Se você estava realizando um tratamento odontológico antes da pandemia começar, ou se precisa tratar da sua saúde bucal, entre em contato com a gente para saber mais informações e para agendar sua consulta na Barini Ortodontia.

 

Dr. Pedro Barini
Dr. Pedro Barini
Ortodontia
CRO-GO 3286

Deixe uma resposta

Open chat
Agende Sua Consulta